Gonçalves conquista certificação pelo Sistema B

 

Trata-se de um reconhecimento internacional das boas práticas da empresa no campo da sustentabilidade e engajamento no movimento global de organizações comprometidas com as causas sociais e ambientais. 

A Gráfica Gonçalves acaba de incorporar mais uma credencial de peso atestando suas práticas alinhadas com a sustentabilidade: obteve a certificação como Empresa B para suas atividades no Brasil. Ainda não tão conhecido em nosso país, o Sistema B congrega organizações de mais de 70 países que buscam mais que o sucesso de seus negócios. Querem ser agentes de transformações que levem a um sistema econômico mais inclusivo e equitativo, gerando valor para as pessoas e comunidades e protegendo o meio ambiente. Ou seja, não desejam ser as melhores empresas do mundo e, sim, as melhores empresas para o mundo. 

O Movimento Global de Empresas B nasceu em 2006 nos Estados Unidos com o objetivo de acelerar a construção desse novo modelo de economia. Hoje, são mais de 4.300 empresas certificadas, das quais cerca de 230 no Brasil. No setor de embalagens de papel-cartão, a Gonçalves é uma das pioneiras. “A decisão de buscar essa certificação teve como objetivos obter uma avaliação externa e independente de nossas práticas de sustentabilidade, identificar oportunidades de melhoria e nos alinhar a esse movimento global em prol de um futuro melhor”, afirma Juliana Gonçalves, presidente da Gráfica Gonçalves. “Entendemos que, para além de sua atividade fim, as empresas têm um papel a cumprir para ajudar no enfrentamento dos grandes desafios do mundo contemporâneo, como as mudanças climáticas, as desigualdades sociais, o aumento da população e a escassez de recursos. Por isso, a sustentabilidade está incorporada à nossa estratégia de negócios, inspirada pelos princípios ESG, ou seja, meio ambiente, responsabilidade social e governança”, acrescenta ela. 

Para obter a certificação do Sistema B, a empresa tem suas práticas avaliadas e auditadas pelos especialistas do B Lab, considerando as dimensões Governança, Trabalhadores, Clientes, Comunidade e Meio Ambiente. São aprovadas aquelas que, ao final do processo, somam no mínimo 80 pontos.

Destaques da Gonçalves

A Gonçalves obteve uma boa avaliação em todas as dimensões, com destaque para Meio Ambiente, com nota 32,1, contra a média de 16,9 registrada no Brasil; e Governança, com nota 13,4, frente à média nacional de 5,4. Contaram pontos importantes em Governança as práticas de ética e transparência, com padrões estabelecidos em seu Código de Ética e Canal de Denúncias em que qualquer pessoa pode relatar de maneira confidencial eventuais violações a esse Código; e a estrutura de gestão estratégica e operacional, incluindo um Conselho de Administração com presença de conselheiro externo. 

Em Meio Ambiente, contribuíram para o bom desempenho da Gonçalves na avaliação do B Lab, o sistema de gestão ambiental certificado pela ISO 14.000 desde 2001 (foi a primeira empresa do setor a obter essa certificação no Brasil); a certificação FSC (Forest Stewardship Council), que atesta o uso de matérias-primas derivadas de florestas certificadas (no caso, o papel-cartão, nossa principal matéria prima); e o monitoramento das emissões de gases de efeito estufa, com publicação do inventário no Registro Público de Emissões do Programa Brasileiro GHG Protocol.

Isso além de projetos implantados mais recentemente, como a estação de tratamento físico-químico de resíduos líquidos perigosos e o sistema de tratamento de efluentes líquidos que permite o reuso da água, reduzindo o consumo desse recurso natural. A certificação como Empresa B é válida por três anos, quando é preciso submeter-se a uma nova avaliação. “Nosso objetivo é evoluir continuamente em nossas práticas, somando forças ao Movimento B, que está redefinindo o significado de sucesso nos negócios. Obter bons resultados econômicos ou mitigar os impactos de suas atividades não é mais suficiente. Empresas podem e devem atuar com uma visão abrangente e transformadora do mundo em que vivemos, ajudando a pavimentar um futuro melhor para todos e para o planeta”, ressalta Juliana Gonçalves. “Organizações focadas apenas em lucro, que não se preocupam com o social e o ambiental e não incorporam os princípios ESG em suas estratégias não terão espaço no futuro”, finaliza a executiva.

}

Comentários ()