O poder das mechas

O poder das mechas

Linhas de descolorante oferecem muito mais que abertura de tons. Tratamento da fibra capilar, diversidade e sustentabilidade fazem parte das criações desse tipo de produto profissional

Um dos desafios da indústria que atua na categoria de coloração/descoloração é oferecer formulações eficazes e que ao mesmo tempo garantam a saúde da fibra capilar. Esse ponto é especialmente desafiador para pequenas e médias empresas, que nem sempre contam com equipamentos de primeira geração para estabilizar as fórmulas. Com 86 anos de mercado, a Coferly Cosmética se destaca justamente por oferecer um serviço diferenciado nesse setor. “Somos o P&D das marcas. Criamos produtos com a mais alta tecnologia e entregamos na quantidade necessária pelo cliente, sem que ele precise fazer estoque”, explica Bruno Ferraz, CEO da empresa que é 100% brasileira.

Especializada em terceirização justamente na categoria de coloração/descoloração, a Coferly é muito procurada tanto por grandes indústrias, que querem desenvolver uma linha de descoloração mais avançada, quanto por empresas menores que ainda não têm esse tipo de produto no portfólio. “A maioria das marcas faz questão de ter uma linha de coloração. Mas, em geral, os projetos de extensão de portfólio começam com descolorantes e oxidantes”, conta Bruno. “Essa é uma maneira mais fácil de entrar nos salões. A marca ganha a confiança do cabeleireiro que fica aberto à compra da linha de coloração quando ela for lançada.” A coloração é a categoria de produtos profissionais que mais fideliza, portanto uma boa estratégia para conquistar os clientes profissionais é fundamental.

Cuidados com a saúde

A descoloração é um dos processos químicos que apresenta maior risco de causar danos ao cabelo. Para retirar o pigmento de dentro da fibra capilar, o descolorante abre as escamas. O segredo de uma boa fórmula é abrir o mínimo possível e oferecer tratamento para que as cutículas se fechem ao final do processo. A indústria vem se esmerando em buscar alternativas para descolorir mantendo a qualidade do fio.

De acordo com Bruno Ferraz, da Coferly, o consumidor, seja ele profissional ou final, deseja principalmente dois atributos quando o assunto é descoloração:
For more detailed information about new 2022 luxury copy breitling watches, you can browse this website.

The uk top quality replica watches at affordable prices are all available!

• Poder de clareamento

• Redução de danos à fibra capilar

A Cless Cosmetics concorda com esse ponto de vista. “quando o assunto é descoloração, clientes, sejam profissionais de salão ou consumidores finais, buscam alta performance associada à proteção do fio, prevenção de ressecamento e de quebra”, diz Kellen Cristine Frutuoso, Diretora Comercial & Marketing na Cless. 

A principal tendência é a inserção de ativos que cuidem e protejam os fios durante o uso. “Haverá cada vez mais tecnologia envolvida em cada lançamento”, confirma Marisa Russo, coordenadora técnica da Yamá Cosméticos. Todas as linhas de água oxigenada da Yamá têm fórmulas enriquecidas com Ômega Plus, uma combinação sinérgica de óleos vegetais ricos em ômega 3, 6, 7 e 9, ácidos graxos essenciais composto por óleos de girassol, gergelim, macadâmia e milho que garantem suavidade, emoliência, restauração da barreira hídrica dos fios e ação reparadora dos danos. “Não é só garantir uma descoloração perfeita, e sim um resultado final com um cabelo saudável”, diz Marisa.

Na Coferly, as fórmulas são desenvolvidas de maneira a entregar a melhor performance sem descuidar da saúde. “Destacamos como principais vantagens competitivas dos nossos descolorantes, o poder de clareamento sem danificar o fio e sem escorrer na mecha. A arginina é um dos ativos que mais gostamos de usar em descolorantes, pois contribui imensamente no cuidado com o fio”, relata Bruno Ferraz, CEO da empresa. Ele ressalta ainda a importância de entregar fórmulas dermatologicamente testadas e não alergênicas. “A Coferly se preocupa tanto com a saúde do fio de cabelo, quanto dos profissionais e dos consumidores que vão usar nossos descolorantes”, alerta o CEO a empresa de terceirização de cosméticos.

Mas não é só a saúde da fibra capilar que importa. As águas oxigenadas da Amend contêmm Lanolina na formulação que atua de forma terapêutica sobre o couro cabeludo. “Temos a preocupação de oferecer descolorantes que também tratam o fio, caso do Amend Luxe Creations Blonde Care Pó Descolorante que contém o exclusivo Smoth Complex que ao mesmo tempo que descolore trata os fios. Serve para todos os tipos de cabelos, de finos a grossos, e promove uma abertura rápida de até 9 tons”, exemplifica Lucimar Brum, Gerente de Marketing da Amend. 

Na Cless, as águas oxigenadas são estabiIizadas, cremosas, balanceadas e compostas por ativos como Camomila e Aloe Vera, que auxiliam na proteção do couro cabeludo, na hidratação e na potencialização do brilho.

Mercado em equilíbrio

Se tem um serviço que dificilmente pode ser bem reproduzido em casa é o de mechas, luzes e reflexo, o que levou muitos clientes de volta aos salões assim que o lockdown acabou. Mesmo quem decidiu passar pela transição e deixar os cabelos brancos se beneficiou da reabertura para uma consultoria de como atravessar a fase com mais brilho. Lucimar Brum, da Amend, lembra que “um bom contorno sempre valoriza o rosto, por isso as mechas continuam em alta, independente da técnica utilizada.” 

O mercado de descoloração não teve quedas bruscas nem crescimento nas vendas. “É um mercado que permanece estável”, diz Heloisa Rivadavia, Consultora da Factor-Kline. Alguns fatores ajudam a explicar os números equilibrados. Primeiramente, ainda que os salões tenham ficado meses fechados, profissionais continuaram trabalhando, atendendo seus clientes em domicílio. A Truss Cosmetics, por exemplo, continuou apostando no mercado profissional, mesmo durante a pandemia. “Lançamos o Kit Perfect Balayage, na linha profissional”, conta Manuela Bossa, CEO / Founder da Truss Hair. 

Outra justificativa é que os consumidores, estando em casa, se sentiram mais livres para fazer experimentações. Desde deixar os brancos crescerem livremente até pintar o cabelo com cores fantasia. “Houve uma onda de descolorir para depois tingir de azul, rosa ou outras cores diferentes, principalmente do público jovem”, atesta Heloisa Rivadavia.

Para Kellen Cristine Frutuoso, da Cless, “as candy colors de tons doces, suaves e delicados como rosa, azul, verde e lilás ressaltam a feminilidade e o romantismo. Os tons NEON, por sua vez, transmitem força”. Independente do tom escolhido, a descoloração precisa ser feita com qualidade. “Temos a preocupação de oferecer ao mercado produtos seguros e que resultem em uma descoloração uniforme, com fundo de clareamento ideal para aplicação da cor desejada, o que vemos, por exemplo, na linha Lightner - Pedras Preciosas.

Durante a pandemia e o período de fechamento dos salões, o do it yourself (ou faça você mesmo) esteve presente com força. No entanto, após dois anos, o consumidor passou a valorizar ainda mais a ida ao salão. “Observamos muitos consumidores leigos fazendo procedimentos simples em casa, mas sofrendo com resultados que não estavam de acordo com as expectativas, ficando com cabelos manchados, por exemplo. Tanto que notamos um aumento acentuado da procura pelo Dekap Color, que remove a coloração e corrige erros”, diz Marisa Russo, coordenadora técnica da Yamá Cosméticos. “Temos informações de que os consumidores voltaram aos salões assim que as portas foram abertas. Os profissionais de beleza seguem sendo essenciais.” 

Descoloração - mechas, reflexos, luzes - continuam serviços fortes no salão tanto que existem profissionais especializados em loiras. “Isso mostra que o consumidor reconhece a complexidade desse procedimento e valoriza os profissionais”, diz Marisa. Além disso, os salões brasileiros são espaços sociais. “Já faz parte da natureza do brasileiro as interações nos espaços de beleza, as trocas de experiências e a busca pela assessoria e a segurança na hora de cuidar da aparência”, diz Kellen Cristine Frutuoso. “Apesar da nossa área ser bastante técnica, não podemos perder de vista que o setor de beleza está ligado à autoestima e ao bem-estar. Uma mudança no visual pode significar um renascimento e uma renovação, justamente o que todos nós buscamos após 2 anos em casa. As pessoas estão ansiosas para mudar e isso inclui os cabelos.”

Personalização

Outro fator que contribui para a fidelidade do cliente quando o tema são luzes e reflexos é a personalização. “Essa é uma tendência que não para de crescer”, concorda a diretora da Cless Cosméticos. “Este tipo de serviço exige máxima personalização, principalmente a cada virada de temporada e com necessidades específicas de adequação à moda. Por isso o domínio da técnica é essencial”, diz ela. 

A personalização é fundamental por um motivo simples: não dá para focar apenas no resultado sem levar em consideração a realidade do fio, o histórico do cabelo, se ele passou por outros procedimentos, se está forte o suficiente para ser submetido à descoloração. “Não é incomum que antes de descolorir o profissional recomende diversas idas ao salão para tratar a saúde do cabelo. Essa sinceridade no diagnóstico é essencial para fidelizar clientes e só valoriza o profissional”, diz a coordenadora técnica da Yamá Cosméticos.

Sustentabilidade em alta

A Coferly tem em seu portfólio coloração e descoloração veganas, ou seja, que não fazem uso de matérias primas testadas em animais ou de origem animal. “O apelo de ativos naturais é sempre importante, mas o brasileiro ainda não troca performance por sustentabilidade, especialmente quando o assunto é cabelo”, diz Bruno Ferraz. A empresa se preocupa com todas as etapas de produção dos produtos, desse a concepção – que é geralmente o momento em que questões de sustentabilidade são elencadas – até a produção, a embalagem e a entrega.

O Extracell™ Plex, da Novachem, fornecido no Brasil pela Dinaco Importação e Comércio, entra na categoria de ativos naturais. “É composto por leveduras das uvas Malbec do sul da Argentina e produzido por meio de upcycling, ou seja, usa o bagaço de cana-de-açúcar da indústria canavieira para alimentar as leveduras”, explica Viviane Gandelman. O ativo biotecnológico mantém a força do cabelo descolorido tal qual o natural. 

“Trata-se de um ingrediente posbiótico que aumenta a resistência do cabelo e reconstrói a fibra capilar”, conta Viviane Gandelman, Vice-Presidente da Dinaco. Segundo a empresa, os testes in vivo a 2% em um tratamento pós descoloração evidenciaram resultados significativos de reconstrução em 65% a fibra capilar de cabelos profundamente danificados. Ele oferece maior resistência às proteínas do cabelo adicionando KAP’s (proteínas associadas à queratina) e protegendo as pontes dissulfeto. “Outros benefícios são a recuperação da tenacidade e da força dos cabelos naturais em 100%, aumentando em 40% a resistência ao estresse mecânico”, completa a vice-presidente.

Diversidade também conta

Por muito tempo, fabricantes podiam criar uma única fórmula de descolorante e assim atender todo o mercado, apenas cuidando para oferecer variedade de volumagem. Mas o consumidor mudou e as tendências de comportamento fizeram surgir consumidores mais conscientes, novos perfis e nichos. “Hoje estamos preparados para criar produtos para cabelos crespos, com ativos que conservam a forma dos cachos, produtos veganos, sustentáveis e menos alergênicos”, conta Bruno Ferraz. Outro diferencial é que os processos produtivos da Coferly asseguram qualidade e repetibilidade dos lotes fabricados. 

“Temos observado que as macrotendências, e tendências locais, apontam para um empoderamento feminino, e consequentemente, a própria aceitação. É uma realidade que os cabelos crespos e cacheados não mais representam um problema a ser tratado. Existe uma crescente demanda por produtos que realcem as qualidades desse tipo de cabelo”, reforça Marisa Sasaki, Marketing Specialist, na Coferly Cosmética.

Em 2018, com grande reforço de mídia, a Yamá Cosmetics colocou no mercado um pó descolorante com fórmula elaborada especialmente para cabelos cacheados, capaz de abrir ate? 8 tons e com tecnologia Dust-Free e óleo de coco. A Amend investiu nas diferentes espessuras dos fios e tem produtos para cabelos finos, médios ou grossos. 

“Compreender necessidades específicas é fundamental para atuar em nichos cada vez mais diversificados e com inúmeros desdobramentos. O Brasil tem uma das maiores miscigenações do mundo com enorme variedade de tipos de cabelo, de pele, de culturas, que exigem que as empresas empreguem maior especialização e técnica”, diz Kellen, diretora da Cless. “Estamos focados em atender essas demandas e em apoiar o profissional de salão com produtos performáticos e com amplo espectro de atuação.” 

 

  Amend  
  Be Natural  
  Cramer  
  Coferly  
  Aqia  
  Box Print  
  Trivium  
  Chemy Union  
  Cless  
  Editora Gonçalves  
  Wheaton  
  Quorum  
  Vollmens  
  Dinaco  
  Salon Line  
}

Comentários ()