Artigo de Opinião: Caminhos da Perfumaria de Luxo e Marcas de Nicho

Artigo de Opinião: Caminhos da Perfumaria de Luxo e Marcas de Nicho

Por Nelci Satomi Ito - 25/01/22

Essa categoria tem passado por importantes transformações e desafios, ora pelo câmbio, ora pelas dificuldades de abastecimento, visto que as importações mundo afora giram ainda em grande parte em torno de insumos para a Covid-19, o que impacta diretamente no câmbio e no abastecimento. São muitos os desafios dos importadores de perfumes neste período. 

Como sabemos, o perfume sempre esteve diretamente relacionado às transformações do planeta, com a pandemia de Covid-19 que se alastrou pelo mundo, mudanças de hábitos também foram percebidos, resta saber como a perfumaria passará a tratar os consumidores para que o conceito do produto seja percebido pelo consumidor e desejado.  

Não há dúvida que a forma de criar, abordar e compartilhar a experiência do perfume tem que mudar. Vivemos por muito tempo aceitando os conceitos das casas de perfumes com base na personalidade do perfume, da marca ou de seu criador, e isso era o fator aspiracional a ser assimilado pelo consumidor, atualmente há necessidade de se pensar na experiência que se deseja proporcionar.  Mas isso já vem sendo previsto há muito tempo, as marcas deveriam estar atentas ao consumidor, que buscam hoje produtos que se adequem a seu estilo e personalidade e não o contrário. 

Hoje em dia muito se fala em inteligência artificial, onde a partir de parâmetros previamente estabelecidos, descobre-se a fragrância do consumidor, evidentemente que atender de forma “fit” é complicado quando se trata de produção em massa, enfim, desafios não faltam. Por isso, algumas marcas já focam sua energia na experiência que desejam oferecer ao consumidor, daí percebemos que para a marca atender esse consumidor muitas tornam-se marcas de nicho, muito alinhadas a seus consumidores e com comunicação muito direta e ágil. Utilizam como ferramenta, influenciadores, embaixadores, amostras e pontos físicos estrategicamente selecionados para promover a experiência. 

Além disso, a formação de profissionais de vendas nas perfumarias precisará ser intensificada e aprimorada, a fim de melhorar a qualidade do atendimento ao cliente e para entender o que atenderá de forma satisfatória as necessidades do consumidor. O vendedor tem que ser cada vez mais completo, pois o consumidor moderno está conectado, muito informado e ainda assim ávido por mais informação. Se o cliente sentir confiança no vendedor, o céu é o limite para finalizar essa venda, cabe a nós termos um time de vendedores preparados para esses clientes, pois o consumidor que normalmente adquiria seus produtos importados nas viagens internacionais, agora acaba consumindo no mercado interno.

Quando uma marca lança um perfume de luxo, tem certeza de que todas as vendedoras estarão aptas a passar o conceito e identificar o cliente que o terá como segunda pele?

Fato é que se conseguirmos entregar o sonho, o preço ainda não é o fator que impede a compra, pois apesar da crise econômica que enfrentamos, com queda de renda e desemprego, nunca deixamos de sonhar, e ter um perfume que seja sua segunda pele e reflita a sua personalidade é de certa forma um sonho bem tangível.

E exatamente por ser tão complicada essa fase, que não devemos deixar de sonhar.

Formada em administração de empresas, atua há mais de 30 anos no mercado de cosméticos, já fez parte de empresas nacionais e importadas do setor de beleza. Sempre preocupada com o desenvolvimento do setor, possui uma visão 360 (indústria, PDV, trade, marketing, comercial, formação). Já teve assessoria de imprensa direcionada exclusivamente ao setor de beleza, distribuidora de cosméticos, consultoria para desenvolvimento e posicionamento de marcas no mercado brasileiro, blogueira , representação comercial, jurada de diversos prêmios da categoria, trade para exportação de marcas brasileiras e editora de revistas especializadas.

}

Comentários ()